GWS Icone FaceBook TOPO BlueGWS Icone Youtube TOPO BlueGWS Icone Mail TOPO Blue

GWS Novo Flash Pref Brasilandia MT 003

Prefeita Municipal

Conheça Nossa Prefeita (Prefeita, Competência, Endereço, Notícias, Galeria de Fotos)

Quinta, 08 Março 2018 15:47

CNM apresenta a prefeitos principais itens da pauta municipalista

Publicado por:

amm marcha prefeitos mt 7492O vice-presidente da Confederação Nacional dos Municípios – CNM, Glademir Aroldi, apresentou aos gestores participantes da 2ª Marcha dos Prefeitos Mato-grossenses, nesta quarta-feira (7), as principais demandas e conquistas mais recentes do movimento municipalista nacional. Boa parte da pauta tem foco nas finanças, visando a resgatar a autonomia financeira dos municípios por meio do aumento de receita.

Nesse contexto, a alteração da Lei Kandir, com o objetivo de aumentar a compensação aos municípios é uma das principais bandeiras. Projeto de autoria do senador Wellington Fagundes, elaborado com a participação da AMM, prevê o ressarcimento de R$ 9 bilhões ao ano a estados e municípios. Aroldi ressaltou a importância de uma compensação mais justa, considerando a necessidade dos entes municipais e a dimensão das perdas dos últimos anos. “Nos últimos 10 anos estados e municípios deixaram de arrecadar R$ 718 bilhões, sendo R$ 179 bilhões de perdas somente para os municípios”, assinalou.

O dirigente salientou também a necessidade de atualização dos repasses dos programas federais, que em geral representam um grande ônus para os cofres municipais. Para efeito de comparação, o repasse do governo federal para manutenção do Programa Saúde da Família, por equipe, é de R$ 10,6 mil, enquanto o custo médio mensal varia de R$ 38 mil a R$ 42 mil.

O projeto que prevê o aumento de 1% do Fundo de Participação dos Municípios nos meses de setembro, quando o repasse constitucional apresenta queda significativa, também é prioridade. Porém, Aroldi lembrou que por se tratar de uma Emenda Constitucional, provavelmente não será votada este ano, considerando a intervenção federal no Rio de Janeiro, que impede a votação de PEC no Congresso Nacional. Caso o projeto seja votado em 2019, o repasse começa em 2020, de forma escalonada até atingir o percentual de 1% em 2022.

Os precatórios também são um item importante da pauta municipalista. Os municípios devem mais de R$ 40 bilhões de precatórios e terão até 2024 para quitar os débitos. Para viabilizar condições para que as prefeituras honrem o compromisso, a CNM e a Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM propuseram ao presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, Paulo Rabello de Castro, a abertura de uma linha de crédito para os municípios liquidarem os precatórios. O assunto foi tratado nesta quarta-feira com Rabello, que foi um dos palestrantes da 2ª Marcha dos Prefeitos.

As conquistas também foram destacadas, como o Auxílio Financeiro aos Municípios no valor de R$ 2 bilhões. A expectativa é que a lei que autoriza o repasse para as prefeituras seja sancionado pelo presidente Michel Temer na próxima semana. A previsão de pagamento do auxílio é até o final de março. A derrubada do veto do Imposto sobre Serviço – ISS também foi lembrada. A medida vai garantir a redistribuição do tributo aos municípios, garantindo um reforço no caixa municipal. Glademir lembrou, porém, que o município precisa adequar o código tributário para estar habilitado a receber o ISS. Dados apresentados durante a palestra indicam que cerca de 40% dos municípios ainda não fizeram a adequação.

Fonte: Agência de Notícias da AMM

Foto: Vicente de souza